Ser designer é…

Achei este post no blog do meu amigo Canha e achei excelente todas estas definições sobre “O que é ser designer?”. Situações que você se pega fazendo e nem percebe, outras são tomadas de decisões conscientes que fazemos em prol da profissão, mas temos que concordar que todos estamos enquadrados… confiram:

serdesigner

* ter o despertador avisar a hora de ir dormir, e não a hora de acordar;
* ter uma dieta a base de café, Coca-Cola e RedBull;
* ter fones de ouvidos quase implantados na sua cabeça;
* tomar café da manhã, almoço e janta ao mesmo tempo;
* ter os amigos dizerem “Que bonito isso!” mas não entenderem o conceito;
* refazer um job pois ninguém entendeu o conceito;
* ter mais fotos de coisas do que de sua família;
* saber usar o Photoshop, Illustrator, InDesign e Dreamweaver mas não entender como rodar o Excel;
* comprar revistas de R$ 50 mas não ter tempo de ler;
* não conseguir olhar para qualquer coisa gráfica sem tentar melhorá-la na sua cabeça;
* não conseguir andar pelo shopping sem criticar embalagens de produtos;
* ouvir sua vó lhe apresentar orgulhosamente como “artista” para amigos;
* sua mãe achar que você trabalha com computadores;
* ser confundido como “técnico em informática” pois “você passa muito tempo na frente daquele tal computador”;
* cobrar o cliente constantemente o briefing e materiais para não estourar o cronograma;
* cliente demorar para enviar o briefing e materiais e depois reclamar que você está estourando o cronograma;
* terminar o projeto após 3 meses e 20 rodadas de aprovação para o cliente dizer “não sei…acho que não ficou muito legal”;
* passar metade do projeto convencendo o cliente que você sabe o que está fazendo;
* passar a outra metade do projeto explicando ao cliente que você está cobrando pelo seu conhecimento;
* ter alguém dizer “Meu sobrinho também faz dizáin“. E quando questionado sobre em qual período ele se encontra, escutar um “Tá terminando o Ensino Médio”;
* acordar se sentido um “garoto de programa” pensando em duas coisas: 1) você precisa parar com isso. 2) você precisa cobrar mais caro por isso;
* passar metade da vida falando pra todo mundo que “logomarca” não existe;
* desistir de ensinar a todo mundo que “logomarca” não existe;
* estranhar aquela luz amarela no céu quando você finalmente sai de casa durante o dia;
* ter que explicar a um cliente que uma gráfica não imprime uma imagem JPG com resolução de 72dpi e em RGB para fazer um outdoor;
* ter que explicar ao cliente o que é JPG, dpi, RGB e “cêmique“;
* ter que explicar que Pantone não é aquele pão com frutas cristalizadas que vendem no natal;
* acordar dia após dia, sabendo que essas coisas nunca vão mudar e mesmo assim pensar: “Eu não me vejo fazendo nada melhor na vida. Amo tudo isso”

Texto: Canha

Fonte: Design Blog

Comentários

comments

Compartilhe

Sobre o autor

Designer apaixonado pelo que faz, fundador e editor do DESIGN on the ROCKS. Brasileiro, natural de Jacareí - SP. Atualmente trabalha como Freelancer de gráfico e produto.

Veja todos os artigos deDomenico Justo

34 comentários

  1. Danielle Toldo

    ahauahua Adorei tudo isso… sou desginer e sei muito bem o que é passar por essas coisas. Demorei 6 meses num projeto, pro cliente cagar tudo e ficar um horror… nessa hora a graninha falou mas alto… fazer o que né, preciso comer! ahauahuahau

    Bjks

  2. Xandre Lima

    Muito bom! Vamos fazer uma campanha para todos cobrarmos mais caro para acabar com essas discussões com o cliente! 🙂

  3. Elisa Kondrasovas

    Vocês realmente acham que ISSO é Design?
    Eu sinto vergonha alheia por saber que alguém pensa assim sobre uma profissão tão mais profunda e complexa do que essa lista de exemplos perfeitos da PROSTITUIÇÃO dessa profissão.
    Minha dica: Leiam e estudem em menor quantidade e melhor qualidade. Saiam um pouco da internet, peloamordeDeus.
    Taí a demonstração clássica do rompimento de valores.
    Lamentável.


    1. Post author
      Domenico Justo

      Olá Elisa, a lista aqui apresentada de situações são sobre Designers e não Design, que isso fique bem claro… infelizmente a grande maioria dos designers passa por estas situações e o post serve para duas coisas: mostrar que não estamos sozinhos e que, sabendo disso, possamos dar um up na profissão, nos unindo e evitando que certas situações aconteçam. Eu mesmo como designer me vejo em situações onde fico com as mão atadas… e já recusei muito trabalho por ir contra alguns princípios artísticos e profissionais.
      As vezes o design é tão profundo, como você mesma diz, que os clientes não entendem. Cabe a nós mesmos mudar esta situação.
      Obrigado pelo comentário.

    2. @andrelbento

      Pelo amor de Deus, isso é uma brincadeira kd seu senso de humor, se continuar a levar tudo a ferro e fogo desta forma vai envelhecer rapidim e ficar ranzinza!!! Sorria a vida é bela.

  4. Taina

    Caaraca, falou tudo, kkkk é isso ae, defendo a msm idéia, Designer é isso msm… Posso postar ao meu blog o texto com autoria sua msm?

  5. Julio Almeida

    Ainda nao sou designer,só faço desenhos… mas mesmo assim me enquadro em algumas dessas categorias… é.. estou começando a me incluir neste louco mundo de esquizofrenicos…

    * ter fones de ouvidos quase implantados na sua cabeça;
    * ter os amigos dizerem “Que bonito isso!” mas não entenderem o conceito;
    * refazer um job pois ninguém entendeu o conceito;
    * ter mais fotos de coisas do que de sua família;
    * saber usar o Photoshop, Illustrator, InDesign e Dreamweaver mas não entender como rodar o Excel;
    * não conseguir olhar para qualquer coisa gráfica sem tentar melhorá-la na sua cabeça;
    * não conseguir andar pelo shopping sem criticar embalagens de produtos;
    * ter alguém dizer “Meu sobrinho também faz dizáin“. E quando questionado sobre em qual período ele se encontra, escutar um “Tá terminando o Ensino Médio”;
    * acordar dia após dia, sabendo que essas coisas nunca vão mudar e mesmo assim pensar: “Eu não me vejo fazendo nada melhor na vida. Amo tudo isso”


    1. Post author
      Domenico Justo

      Então seja bem vindo ao clube dos esquizofrênicos designers Julio… kkkk

  6. Julio Almeida

    Vocês realmente acham que ISSO é Design?
    Eu sinto vergonha alheia por saber que alguém pensa assim sobre uma profissão tão mais profunda e complexa do que essa lista de exemplos perfeitos da PROSTITUIÇÃO dessa profissão.
    Minha dica: Leiam e estudem em menor quantidade e melhor qualidade. Saiam um pouco da internet, peloamordeDeus.
    Taí a demonstração clássica do rompimento de valores.
    Lamentável.

    Incrivel… lamentavel mesmo, este seu comentario…Como Domenico disse estas são só definiçoes bem humoradas de como é a vida de um Designer , nao conta qualquer critica ou opniao sobre a arte do Design. ‘PROSTITUIÇÃO dessa profissão’ nao concordo, creio que seja formas diferentes de trabalho.
    =]

  7. akira.

    Alias, quem não é designer nos tempos modernos de hoje?
    Só não concordo com “* comprar revistas de R$ 50 mas não ter tempo de ler;”, tempo todo mundo tem, nem que seja mínimo, o problema é largar a internet só um pouquinho. Não que ela seja ruim, o problema é que as coisas que elas nos passa são, geralmente, efemeras.
    Também acho meio foda essa de romantizar a profissão, pois acaba trazendo muitas pessoas por inercia. Aquelas que só vão pra profissão pra se tornar artista, descola e hype.
    Mas enfim, não prolongarei para não me tornar um chato. É só uma opinião:)


    1. Post author
      Domenico Justo

      Toda opinião é sempre bem vinda Akira! Obrigado

  8. B-hor

    Show de bola esse texto, é exatamente isso que nós DESIGNERS passamos, quem não passa por isso é outra coisa!
    Agora, quem nasceu pra isso não tem jeito, não larga e é aporrinhado e mesmo assim continua amando essa coisa chamada DESIGN. Parabéns pelo blog, xique no úrtimo!

  9. Julio Almeida

    Já estou me sentindo em casa,Domenico, Obrigado!Concordo contigo akira.Nao sou doido ao ponto de comprar uma resvista ou livro de 50 reais e nao le-lo até por que a empolgaçao de tê lo nao permite que fique nem se quer 1 hora sem folhea-lo #Fato


    1. Post author
      Domenico Justo

      Kkkkkk, pois é, quero que o blog seja também um lugar de relax do trabalho, e exercitar a mente nunca é demais!

  10. Mauro

    É, realmente parece que houve uma total decaída na prática do Design. Como disse a Elisa, posts acima, está bem claro que o mercado está bem prostituído. O que é incrível pois o design brasileiro ja foi considerado um dos melhores do mundo e ainda é admirado. Releia essas frases:

    “* ter uma diéta a base de café, Coca-Cola e RedBull;”

    “* tomar café da manhã, almoço e janta ao mesmo tempo;”

    “* ter os amigos dizerem “Que bonito isso!” mas não entenderem o conceito;”

    “* refazer um job pois ninguém entendeu o conceito;”

    “* passar metade do projeto convencendo o cliente que você sabe o que está fazendo;”

    “* acordar se sentido um “garoto de programa” pensando em duas coisas: 1) você precisa parar com isso. 2) você precisa cobrar mais caro por isso;”

    “* estranhar aquela luz amarela no céu quando você finalmente sai de casa durante o dia;”

    “* acordar dia após dia, sabendo que essas coisas nunca vão mudar e mesmo assim pensar: ‘Eu não me vejo fazendo nada melhor na vida. Amo tudo isso'”

    Você percebeu que disse que a situação está ruim mas ama tudo isso?

    Será que não é hora de adotar uma postura mais profissional diante do seu cliente?

    Será que não é hora de valorizar o que vc investiu na sua carreira?

    Será que não é hora de parar de se corromper por dinheiro e criar diferenciais para o seu negócio de Design?

    Será que essa sua visão da profissão é a visão da atividade de Design ou do birô da esquina?

    Entenda Domenico, que não estou aqui para para ser um estraga prazeres. Estou aqui porque, assim como você, admiro a profissão.

    Estou aqui porque ouço designers, publicitários e gente da área reclamar da situação, mas eles próprios são os culpados por tudo isso ao arreganhar a saia para seus clientes que tem TOTAL noção, sim, do que é Design.

    E sabem exatamente que faríamos o trabalho de graça pelo prazer de ajudar. Pela satisfação de exercer a profissão e, justamente por isso, barganham sem escrúpulos argumentando que o sobrinho tbm faz ou q a gráfica da esquina faz por menos.

    Está na hora de deixarmos esses caras fazerem com o sobrinho por um drops garoto. Está na hora de tomarmos vergonha na cara e elevar nossa auto estima.

    Está na hora de mostrar realmente amor à profissão e não deixá-la desaprecer com o lamentável hábito de abrir as pernas para clientes e tornar-se um birô gráfico, competir com garotos de 12 anos.

    Afinal, seu trabalho não se equipara ao de um garoto não é?
    Vc tem contas a pagar não tem?

    Ou vc acredita que um dia, será finalmente reconhecido, ganhará um trofeu e pronto, ficará orgulhoso?

    Eu não sou movido à prêmios, não sou movido à trofeu, não sou movido à 15 dias de veiculação. Eu gosto de ganhar dinheiro, eu gosto de pagar minhas contas em dia, eu gosto de investir para ter um futuro bom e envelhecer com conforto.

    Eu gosto de viver além das minhas possibilidades. Eu gosto de escolhas, eu gosto de praticar a profissão por prazer e não por necessidade.

    Novamente, não estou escrevendo para ser um estraga prazeres mas acho q já está na hora de refletirmossobre um novo patamar para essa maravilhosa profissão e parar de nos comportarmos como incompreendidos, excluídos ou qualquer coisa do tipo.

    Um grande abraço e, triando ess post, parabéns pelo blog. ]

    Mauro


    1. Post author
      Domenico Justo

      Então Mouro, eu mesmo tenho adotado a política de valorização do trabalho, e se o cliente diz que o sobrinho faz mais barato eu encerro a reunião na hora dependendo da forma que isso é dito, ou sou educado e digo que não me interessa o trabalho se não for pelo valor pedido. Na minha outra resposta mesmo eu disse que esta situação só depende de nós mesmos para que seja mudada.
      Bom, muito obrigado pelo comentário, é pra isso que o blog está ai, para inspirar, para acrescentar algo na vida dos leitores e até iniciar uma discussão saudável para que todos possam crescer e poder viver da paixão que nos une, que é o Design!

  11. Igor

    Esqueceu das pessoas que te mandam o logo do cliente em baixa resolução…. e dentro do WORD!

  12. Luciana Roncarati

    Muito bom….- ” Ser designer é acima de tudo é amar muito oque faz..”
    Ps: tenho mais uma pra adicionar….”Ser designer é, Ver mais a tela do computador do que a tela da Tv…”

  13. Lu

    parabens muito engracado o post, sou programadora mas sinto quase as msms coisas rsss

  14. Fernanda

    Olá galera adorei oque vc postou ai! Domenico né?

    e estou entrando pra essa area to fazndo faculdade de design grafico na unip do tatuapé e curso também na Impacta de photoshop coreldraw illustrator e indesig e preciso de um estagio Urgente…

    amo tudo isso também e necessito de algo pra treinar estagiar emprego… alguém poderia?

    contato comigo…

    nana.bones@hotmail.com
    abro todos os dias meu e-mail

    agradecida

    valew Fernanda.


    1. Post author
      Domenico Justo

      Bacana heim, eu faço Design na Unip tbm… de SJC…. e gosto bastante, apesar de esta na área a mais de 12 anos, tenho aprendido bastante… quanto a vaga de estágio, fica ai o teu email, mas pode procurar em outros blogs como o Publicijobs, que sempre tem vagas de estágio…


  15. Post author
    Domenico Justo

    Rogério, eu é que to achando gozado você questionar o estereótipo e fazer um post sobre ele no seu blog, meio contraditório se você diz para não alimentá-lo, agora, duvido que todos estes designers tenham nascido em berço de ouro e caído direto dentro de uma agência que não permitisse este tipo de situação, que viveram em um mundo de clientes que sabiam tudo de design, que nunca questionaram seus trabalhos ou não entenderam o porque deles, meio utópico demais achar que a vida de designer é sempre um mar de rosas na cor magenta… Infelizmente não é alimentar um estereótipo, é um alerta sobre ele, que faz parte da vida da maioria dos designers e precisa sim ser mudado, mas vão continuar enquanto nossa profissão não for regulamentada… estão ai os comentários e quantidade de retweets para provar que faz parte da vida de todos, sim! Consagrado ou não!

Comentários desabilitados.